Definida como uma história sobre peixes, Amor e drásticas consequências, Sealark é uma aventura coberta em mistério. Uma menina chamada Dove, a última pescadora num mundo inteiro coberto por água e com uma particular população de peixes falantes, vai encontrar um barco que vai mudar por completo a sua vida. A partir daqui, começa o Mistério.

Após pesquisar os projectos Kickstarter que ultrapassavam em grande percentagem o valor inicial, acabei por encontrar Sealark, um jogo que não se ouve falar nos quatro cantos do mundo como Project Eternity, por exemplo. Confesso que quando carreguei em play no vídeo de apresentação de Sealark, fiquei impressionado e apaixonado à primeira vista! Pela simplicidade, pelo gosto apurado da animação pixelizada e pela Música. Comecei a ler tudo o que havia sobre o projecto e fui pesquisar sobre os autores. É um projecto de apenas duas pessoas; estando a programação, argumento e animações ao encargo de Joshua Cross a.k.a. Clairvoire; e a Música composta por flashygoodness.

 

Joshua conseguiu mais de 55000 dólares, quando só pedia 5000 iniciais para concretizar o projecto. Não é um projecto propriamente fresco, isto é, já começou a ser planeado e desenvolvido há dois anos, o que permitiu melhor apresentação e pronto a arrancar com um financiamento a partir da plataforma Kickstarter. Com muito êxito.

E com este êxito, decidi contactar Joshua Cross, para saber um pouco como se sente com todo o sucesso que teve Sealark. Joshua respondeu a umas simples perguntas com a maior simpatia.

 

Rubber Chicken: De onde surge a paixão pelos jogos e em criá-los?

Joshua Cross: Eu sempre quis ser um contador de histórias quando crescesse. Eu também adorava jogar, como a maioria dos criadores, e tem sido por aí! Olhando para trás, não consigo lembrar-me de um momento em que eu não quisesse fazer jogos! Não há muito mais além disto, e há pouco mais que eu preferia fazer.

Rubber Chicken: O que levou a idealizar Sealark em primeiro lugar?

Joshua Cross: Eu queria desenvolver uma premissa a partir de uma história menor, algo que eu poderia fazer num espaço de tempo razoável. E pensei “jogo de pesca, por que não!” É claro, ‘menor’ não se ficou por muito tempo. Nos primeiros meses, mais ideias foram surgindo até que finalmente começou a assemelhar-se ao que parece agora. O nome “Sealark” é, na verdade, a última peça que faltava, que apareceu na noite antes de lançar o Kickstarter. Nomes e títulos sempre me levaram mais tempo.

Rubber Chicken: Como te sentes quando vês Sealark a ser tão apoiado e que garantias isso pode trazer para futuros projectos?

Joshua Cross: Lisonjeado e agradecido! Fiquei encantado [tradução simples de I was blown away], aha. Isso garante à partida que possa trabalhar em Sealark como um trabalho a tempo inteiro e possa dar-lhe a melhor interpretação que merece.

Rubber Chicken: O que faz com que Sealark seja tão especial para o apoio de mais do que 2000 [3152 finais] apoiantes? A arte? A música? A história? Tudo?

Joshua Cross: Eu não posso dizer com certeza, mas só posso esperar tudo isso!

Rubber Chicken: Por último, será que vamos ver uma galinha de borracha no jogo?

Joshua Cross: Atum de borracha, talvez! São as galinhas de borracha do mar.

(Após isto, pensei perguntar sobre o que achava da economia global, mas achei irrelevante).

 

Resta desejar que Sealark consiga avançar, com a determinação e a paixão dos dois criadores, para algo que orgulhe os que apoiaram o projecto e todos aqueles que se revêem na arte de fazer Videojogos. Pois isto é sinal de grande futuro e demonstra qualidade realizada com poucos meios (poucas mãos). Um verdadeiro e sincero simbolismo dos jogos Indie.

Para mais informação sobre o projecto, podem visitar a página Kickstarter.

Este slideshow necessita de JavaScript.