Boa noite,

Há muito tempo que não lançamos um Tudo ao Molho, ou como dizem os Americanos: “Lots of time we não lançate an All at Mólhe”. E qual a melhor maneira para regressar do que avaliarmos quais os trailers de videojogos que mexeram connosco, aqueles que nos deixaram uma tremenda curiosidade sobre os jogos que anunciavam, mesmo que o produto final pudesse ficar aquém do que o que era publicitado. Quais serão os trailers que mais mexeram com as Galinhas, desta Capoeira que é um filme? Vamos ver os trailers que o Rubber Chicken escolheu. “Lex Lukatratrailas Rubér Xíque escolhúte”.

 

Alexa Ramires

Adoro ver Trailers. Acho um Trailer uma excelente forma de mostrar sem expor. Fazer um bom Trailer é tão difícil como cativar uma pessoa com uma única conversa: Tem que se mostrar do que se trata ao mesmo tempo que se deixa um pouco de mistério para despertar a curiosidade de descobrirmos todo o conteúdo. Dois trailers marcaram-me profundamente e ainda hoje, muitas vezes, ligo o Youtube e revejo-os vezes sem conta. Assassins Creed Revelations é um trailer perfeito. A música de Woodkid – Iron – traduz tudo o que um guerreiro representa. A imagem de um Ezio mais velho, mais maduro, à procura da sua origem, a imagem de Altair, a coreografia de luta….extraordinário. A mostrar que quando a Ubisoft quer…saber fazer. O outro trailer…não vou comentar….apenas deixo a imagem…. qualquer comentário que fizesse estaria a mostrar muito mas muito de mim. E por isso, porque homenageamos os Trailers, deixo o Trailer onde a loba Aoussa se esconde…

 

João Machado

Ok, não é o melhor I de sempre, mas é daqueles mais recentes que me fizeram sentir “EU QUERO JOGAR ISTO!!!! JÁ!!!!. Simplesmente porque é algo eu estou à espera desde mil e nove e oitenta e qualquer coisa, assim, mas com mais personagens.

 

Isaque Sanches

Não sei porquê.
Não quero que haja outro Antichamber. Quero conhecer outro Antichamber. Quero voltar a ter a experiência de conhecer de novo um universo como aquele. Quero a surpresa, a descoberta, não o objecto em si.
Não sei porque é que quero jogar Manifold Garden. Descobri-o há dois dias. Talvez seja saudades de um Antichamber.
Não um Kairo, um Dream ou um Q.U.B.E. – um Antichamber.

Johnny – Vai jogar o The Witness, Isaque, é o mais próximo do Antichamber que já joguei.

 

Miguel Tomar Nogueira

Dead Island, talvez um dos melhores trailers de sempre da história dos videojogos. Dead Island, talvez um dos piores jogos de sempre da história dos videojogos.
Menção honrosa, com muita honra: todos os trailers live-action de lançamento do primeiro Ratchet and Clank, das várias armas, circa 2002.

 

Johnny Rodrigues

Melhor trailer no sentido de “epá, quero mesmo jogar isto!” é, sem dúvida, o primeiro teaser de Portal.

Mostra o que é o jogo, introduz-nos ao tipo de humor/setting do jogo e deixa-nos com vontade de ver mais. Trailer perfeito. Lembro-me perfeitamente de ter ficado com este jogo debaixo de olho somente pelo trailer. Na altura, ninguém sabia nada sobre o jogo, apenas que vinha junto com o The Orange Box da Valve, passando despercebido no meio de pesos pesados como Half-Life 2: Episode Two e Team Fortress 2. Mal se sabia que estavamos a presenciar um pouco de história dos videojogos.

Melhor trailer no sentido de “epá isto está mesmo muito bem feito/ganda pedaço de media” vai para Star Wars: The Old Republic (acho que não preciso de dizer porquê).

 

Frederico Lira – Podemos deixar 3 trailers?

Ricardo Correia – Yes!

Frederico Lira

The “speed up” Division.


Dead “Irreversible” Island.
Halo “Time Slice” 3.

^^

 

André Marrucate

 

Leonel Ferreira

O que fariam se subitamente a vossa cidade se transformasse num campo de batalha? Provavelmente não seriam um soldado como no Battlefield ou o Call of Duty, mas sim um simples ser humano a tentar sobreviver. Os trailers do This War Of Mine têm a lugubridade simples de nos por a pensar e deram-me a maior das vontades de jogar ao jogo. E joguei, durante largas dezenas de horas…

 

Bernardo Lopo

Faz este ano dez anos que o meu trailer preferido foi revelado. Início de uma geração, Final Fantasy XIII haveria sido revelado e com ele, Final Fantasy vs XIII. A fotografia do jogo, incrível, e a música melancólica cantada por coro e acompanhada pelos martelos de um piano tocaram na estética que há muito esperava ver nos videojogos. Bolas, o quanto esperei enquanto via este trailer outra e outra vez. E finalmente estamos a pouco mais de um mês de saber a data de lançamento. O que resta saber é se 3650 dias de espera valeram realmente.

 

Matthieu Rego

Existem muitos trailers excelentes mas poucos podem reivindicar terem marcado a história dos videojogos. Foi na sala escura de um auditório da E3 que a sequela do já muito cinematográfico Metal Gear Solid demonstrou ao mundo a capacidade gráfica da PlayStation 2 e estabeleceu as bases do gaming moderno assento na miscigenação da narrativa com o gameplay. As sequências de vídeo parecem de um filme e as sequências de jogo parecem fazer parte deste filme. A chuva, o mundo em tons de cinzento esverdeado, a orquestra sinfónica… Passados tantos anos este trailer ainda mexe comigo.

 

Ricardo Mota

Toda a envolvência, a luz, a música, a voz, o contexto… tudo me fez dizer “eu quero este jogo”.

 

Ricardo Correia

A primeira curiosidade do ano é mesmo o facto de eu e o João aparentemente termos cortado o cordão-umbilical e termos decidido responder coisas distintas a um Tudo ao Molho. Mas, começo a acreditar que ou sou um tipo vazio sem opinião própria, ou tenho mesmo uma grande proximidade com os meus amigos mais próximos. É que o melhor trailer que alguma vez vi foi mesmo o de Dead Island. E não acho o jogo assim tão mau.

Mas para mudar um pouco o ar, vou regressar quase duas décadas, quando dois trailers (perdoem a fraca qualidade do que anda pela net) me mostraram as potencialidades emotivas de alguns jogos. Falo obviamente de The Legend of Zelda: Ocarina of Time e de Final Fantasy VII.