Ainda Life is Feudal: Your Own mal acabou de arrefecer depois do seu lançamento definitivo, e já a editora Bitbox Ltd. lança um jogo a tentar aproveitar algo não só do peso relativo que a franquia Life is Feudal pode ter ganho nos últimos anos, como o sucesso comercial e crítico de Banished. Mas já lá vamos.

O problema de termos como inspiração um jogo recém-lançado e com o sucesso e envolvimento da comunidade como Banished teve e tem, é que lançado uma proposta quase igual em Early Access (ainda que dia 26 do mês passada tenha finalmente chegado a versão final), acaba-se sempre por perder por comparação. Afinal, o tempo de Alpha aberto do jogo da Shining Rock Software permitiu-lhe tornar-se uma experiência muito coesa de city building medieval, num subgénero onde se senta confortavelmente como rei e senhor.

Life is Feudal: Forest Village vem explorar este filão, da gestão de recursos e construção de uma cidade medieval tal como Banished, mas neste momento, como seria de esperar, fá-lo pior. Ainda possui uma gama muito reduzida de opções e de complexificação que o permitam sequer ameaçar a posição confortável do outro jogo, para além de que neste momento sofre de uma desafinação tremenda em termos de ritmo.

A atenção ao detalhe e a micro-gestão é uma das componentes que aqui mais se destacam. O efeito climatérico que a passagem das estações pode ter nas culturas tem, e deve ser tido em atenção. Por exemplo, toas as colheitas que não tiverem sido colhidas (passando o pleonasmo) quando se aproxima o Outono serão automaticamente destruídas pela geada. E visto que a alimentação, assim como na vida real, é de fundamental importância para todos, temos de conseguir garantir que conseguimos ter mantimentos para todos, para que a nossa aldeia cresça e se multiplique.

Essa é, aliás, a grande forma de crescimento. Tal e qual como em tempos idos, quantas mais pessoas tivermos para trabalhar, maiores fontes de labor teremos para fazer progredir a nossa civilização e para conseguir os recursos necessários para nos precavermos para qualquer eventualidade. O que inclui desastres naturais, coisa que aqui existe em Life is Feudal: Forest Village.

Ainda assim, Life is Feudal: Forest Village traz uma grande promessa que poderia fazer toda a diferença à medida que o jogo foi sendo desenvolvido e actualizado até à versão final. Aqui, para além de darmos instruções aos muitos habitantes da nossa cidade, temos a possibilidade não só de ver o mundo pelos seus olhos como controlá-los e executarmos nós mesmos as tarefas que estabelecemos.

 

Esta pequena grande alteração torna Life is Feudal: Forest Village uma ameaça a longo prazo num subgénero que não tem assim tanta concorrência, e obriga-nos a segui-lo de perto, para perceber se cumpre a sua promessa, para além do aprimorado potencial gráfico que o jogo já possui, e que o coloca muitos patamares acima de jogos genéricos, mesmo com temáticas de city building.