Ia-me Esquecendo

Análise, Ia-me Esquecendo

Ōkami: um dos melhores Zelda nem sequer tem o Link

Ōkami HD é a oportunidade que todos temos hoje para jogar uma das grandes obras dos videojogos.

Análise

Radar Warfare – Descansas quando morreres

Se gostam de um desafio, alistem-se! Radar Warfare é barato, simples e divertido!

Análise

Demetrios – the BIG cynical Fartventure

Numa altura em que os Point-And-Click andam a ressurgir como cogumelos, apraz-me, enquanto apreciador do género, verificar que estes têm surgido com qualidade e…

Análise

Final Fantasy XV: Comrades – Potencial em bruto

Às armas, camaradas! Pelo fim dos loading screens e pelas patuscadas no campismo!

Análise

Betrayer: do mundo negro dentro de nós. E à nossa volta

Os esqueletos no armário de um genocídio esquecido.

Análise

Energy Balance

Por vezes as melhores coisas da vida são aquelas que são ricas na sua simplicidade. Por definição, o mesmo se aplica aos videojogos e…

Análise

Westerado, agarrem-se aos vossos chapéus pixelizados!

Não é o Red Dead Redemption que queremos, talvez nem o que merecemos mas é o que temos e é muito bom!

Análise, Observador

Sonic Forces: a desilusão final de Sonic

Os tempos áureos do ouriço mais famoso da História dos videojogos já lá vão. O que resta nos dias de hoje são resquícios de mediocridade.

Análise

The Darkside Detective – Take a walk on the wild Dark side!

Supernatural… Porque o nosso McQueen é, também ele, um detective do sobrenatural! É um mergulho no passado. Longe vão os tempos em que jogava…

Análise, Observador

Assassin’s Creed: tudo começou no Egipto

Assassin’s Creed: Origins decidiu viajar atrás no tempo até ao Egipto Antigo. O novo título da Ubisoft é o mais refrescante dos últimos anos.