Observador

Análise, Observador

Ni No Kuni II: às portas de um mundo mágico

Ni No Kuni II é uma brilhante sequela a um magnífico jogo.

Análise, Observador

Scribblenauts Showdown: palavras leva-as o vento

Scribblenauts Showdown é o mais recente jogo de uma série caricata que sacrificou a sua própria identidade para apelar a um público mais vasto.

Análise, Caça ao Indie

Zombies Nazis… da Máfia Italiana? Guns, Gore and Cannoli 2

Nunca me passou pela cabeça as minhas grandes preocupações serem Zombies Nazis, mas olhando para a storyline de Guns, Gore and Cannoli 2 realmente faz sentido.

Análise, Caça ao Indie

12 Orbits: só para quem tem amigos

12 Orbits vem preencher uma lacuna num nicho que só pertencia anteriormente ao velhinho Sensible Soccer dos meus tempos de juventude.

Análise, Caça ao Indie

Battle for Enlor – Dodgeball de desrespeito por regras básicas

Battle for Enlor apresenta-se como um jogo de estratégia por turnos, com cartas. mas por 3,99€, será que vale a pena?

Análise

The Barbarian and the Subterranean Caves – Choose your own boredom

The Barbarian and the Subterranean Caves volta uns 20 anos no tempo, mas não de uma boa maneira…

Análise, Observador

Fe e a harmonia com a natureza

Fe é o primeiro jogo a ser publicado pela chancela da EA Originals e mostra-nos uma forma interessante de contar uma fábula sem recorrer a texto, apenas com arte e música.

Análise

Dynasty Warriors 9: Abre-te, sésamo!

Dynasty Warriors 9 é a primeira vez que a série corre tanto riscos para ser diferente. Mas terá valido a pena?

Análise

The Unspoken, um bocadinho de Harry Potter urbano

The Unspoken é o primeiro grande jogo de VR a passar o teste da adaptação a eSport.

Análise, Caça ao Indie

Dead Ground, terreno fértil para amantes de tower defense. Só.

A coisa funciona bem em Banner Saga. Não tão bem aqui em Dead Ground. Primeiro porque não há toda a envolvente de história que não só embeleza como é o cerne da vida de Banner Saga.