Análise

Para quê esperar por XCOM quando se tem BattleTech?

Já perdi a conta a quantos artigos sobre tactical RPGs escrevi esta semana, e ainda por cima falta um que está na calha: Into…

Análise, Caça ao Indie

Aggelos: relembrar os pais dos metroidvanias

Aggelos é muito mais uma homenagem aos primórdios do género do que uma tentativa de o reinventar.

Análise

Yoku’s Island Express o melhor jogo de que ninguém fala

Yoku’s Island Express é uma das ideias mais originais e um dos melhores jogos que jogámos em muito tempo.

Análise, Observador

Super Mario: o verdadeiro ás dos courts de ténis

O nosso destaque do fim-de-semana no Observador foi para o regresso em excelência do canalizador aos courts em Mario Tennis Aces.

Análise

Vampyr: o férreo sabor a sangue coagulado

Deitámos o dente a Vampyr e explanamos numa longa análise todas as oportunidades perdidas de um dos mais originais jogos dos últimos anos.

Análise, Observador

LEGO The Incredibles: o jogo depois de verem o filme

Divertimo-nos com LEGO the Incredibles, atingimos os 100% de conteúdo no jogo e depois de termos jogado a todos até hoje sentimos que é o mais fraco da fórmula LEGO + TT Games.

Análise

Vamos fazer amigos entre os dinossauros

Jurassic Park está de volta ao grande ecrã, e aos videojogos também. Mas será Jurassic World Evolution o business manager/park tycoon que queríamos?

Análise, Observador

Tennis World Tour: a grande promessa falhada

Tennis World Tour tinha tudo para ser o melhor desta geração, mas não foi bem isso o que acabou por acontecer.

Análise, Caça ao Indie

Oh que fofinho! Afinal é um Son of a Witch

Sof a Witch é um excelente indie roguelike que nos traz uma ideia old school: ou acabamos de uma assentada ou temos de começar tudo do início.

Análise, Caça ao Indie

Moonlighter: a luz trémula entre a coragem e a ganância

Action RPG, dungeon crawling, pixel art e gestão de uma loja medieval. Moonlighter aprendeu com o o melhor que Recettear tinha para ensinar.