Análise

DOOM: Yippee ki-yay Motherfucker!

O novo DOOM é o jogo que já não nos lembrávamos que precisávamos.

Análise

Total War: Warhammer

Como é que até agora ninguém tinha conseguido juntar Total War com Warhammer? Será que não viram que era um casal perfeito?

Análise, Crítica

Overwatch Open Beta – foram abertas as portas do oblívio

  Vou começar por dizer que não sou um fanboy. Agrada-me o que a Blizzard fez com alguns jogos, como Warcraft e World of…

Análise

Uncharted 4 – Até sempre Nate

Adeus Nate – sabemos que chegou ao fim a história de um Ladrão! Resta-nos a consolação de termos a certeza que Uncharted 4 garantiu o nascimento de uma Lenda.

Análise

Quem der uma nota a Firewatch não compreende os jogos de vídeo

Firewatch é talvez o jogo mais complicado que analisei em toda a minha vida, por ser extremamente difícil explicar ao que é que se resume.

Análise

Severed: o melhor jogo do ano cabe na Vita?

O ano ainda nem está a meio mas já temos um concorrente a melhor jogo do ano: Severed, que poderá ser o último grande lançamento da Vita.

Análise

SUPERHOT: Devagar se vai longe

Cortesia da câmara lenta, SUPERHOT proporciona-nos um bailado FPS que nos deixa conduzir a acção como se fossemos os maiores mestres da arte de jogar na primeira pessoa.

Análise

Será Yo-Kai Watch quem destruirá Pokémon?

Yo-Kai Watch conta a história de um rapaz/rapariga que começa a ver fantasmas e torna-se autista. Estará este jogo à altura de Pokémon?

Análise

As muitas páginas de uma boa história

Stories: the Path of Destinies é um livro que se lê de 24 formas diferentes. E que pelo meio tem um delicioso Action RPG a dourar.

Análise

République – para além de Orwell

Este one-hit wonder que é o Rockwell dizia-o, e bem. E no caso da protagonista de République suponho que isto é um alívio. Desenvolvido…