indie

A Hora do Meh

Querias assustar, mas só metes mehdo

Com tantos bons indies e AAA de terror, há ainda aqueles que querem assustar mas só metem é mehdo.

Caça ao Indie

Deuses Vikings, Robots e Detectives

Quando se junta deuses Vikings e robots num ambiente distópico e uma história de detectives o que temos? Algo que podia ser melhor.

Caça ao Indie

Gatafunhadas de referências de tudo: Strike Force Kitty

O melhor de Strike Force Kitty são os fatos, cada um com uma referência hipster-geek-pop-nerd que desafia a nossa cultura.

Caça ao Indie

Pewpewdiepew

É uma caçada sobre 3 “jogos de tiros” e uma piada à onomatopeia e ao Youtuber. Pelo menos 2 destas falharam redondamente.

Chicken Nugget

Alteric: um cubo, muitos saltos e ainda mais mortes

Desafio e uma estética 2D chamativa. “Thomas Was Alone” encontra “Dark Souls”, dizem os criadores.

Caça ao Indie

Não se escreve indie sem as letras R, P e G

A centésima quinquagésima Caçada Semanal traz-nos dois excelentes RPGs indies como comemoração.

Antevisão, Caça ao Indie

Bem-vindos à Operação ao Forte Triunfo

Com o sucesso tremendo de Divinity Original Sin, é natural que alguns jogos lhe seguissem as pisadas. Fort Triumph é um dos que o faz, e bem.

Análise

Dead in Vinland: esta vida de Viking está a dar cabo de mim

Dead in Vinland é uma melhoria demarcada para a série. No entanto, não é para todos.

Caça ao Indie

Siege Saga: o outro lado de Angry Birds

E se em vez de sermos os pássaros jogássemos com a fação dos porcos?

Opinião

My Lovely Daughter: até o livro tem amnésia

My Lovely Daughter é um point and click de gestão de tempo e recursos bastante focado na repetição.