Confesso: se me apresentarem um jogo isométrico cheio de cor e detalhe eu por norma estou automaticamente interessado. Porém, se me apresentarem um RPG isométrico cheio de cor e detalhe e com muitas horas de exploração então estou praticamente comprado.

 

Compramos.

 

Quando a produtora dos Söldner-X, um conjunto de bons “clones R-Type” para a PSN, anunciou no início de 2011 que estava a desenvolver um RPG com 25 horas de jogo, extensíveis a 100 horas de jogo por quests secundárias, eu torci o nariz. Com um anunciado motor de jogo, sempre a correr a 60 frames os detalhados ambientes com mais de 15 tipos de terreno que mostravam as imagens, 6 personagens jogáveis com mais de 100 skills, eu achei que a produtora estava a fazer “xixi” fora do penico. Quando um comunicado de imprensa no final de 2011 anunciou que o jogo tinha sido adiado para 2012, eu percebi que talvez tivesse razão e que a SideQuest Studios se tivesse metido numa empreitada para a qual não estavam preparados.

É tão bom estar enganado.

 

No entanto, a produtora parece ser a última a rir e Rainbow Moon acaba de entrar em fase Gold, devendo ser lançado nas próximas semanas na Playstation Network. Tudo o que foi dito e anunciado atrás não só se manteve como ainda cresceu. A história principal foi estendida para as 40 horas de jogo, mantendo as 100 horas com as actividades secundárias onde se incluem também 20 masmorras, o cenário continua a ser um belo e enorme mundo aberto em alta definição, e os skills cresceram para 120 que podem ser evoluídos nos nossos 6 personagens repletos de vários tipos de armamento, armaduras e acessórios. Para um jogo PSN, está vários níveis acima da média.

A produtora promete que Rainbow Moon é um jogo feito por jogadores para jogadores. Quero acreditar que sim.