Todos conhecemos Tom Hanks como um actor versátil e uma estrela de Hollywood com créditos mais do que firmados.
São muitos, e em alguns casos bons, os filmes onde participou e penso não melindrar ninguém ao afirmar que, em geral, parece um tipo porreiro.
Há no entanto outra faceta que ainda nos pode surpreender nesta celebridade e que nos chega através do seu envolvimento pessoal num ambicioso projecto multimédia para plataformas móveis.

Electric City, uma cidade onde a humanidade deposita a sua última réstia de esperança. Erguida após uma enorme catástrofe natural, seguida de um período onde os habitantes da Terra quase se autodestruíram, é o ultimo bastião de civilidade que resta aos humanos. Mas por trás dos ideais de ordem e progresso escondem-se forças que se movem sinistramente e dominam silenciosamente os destinos da população.

Fall Out much?


Esta é a trama para o universo de um novo IP criado por Hanks e Gary Goetzman. O projecto surge através de uma parceria entre a JumpGames e a produtora Playtone (de que ambos são donos) e que já teve êxitos de televisão e cinema como Band of Brothers, Big Love, Where the Wild Things Are e… Mamma Mia (ok, neste último talvez dê jeito reavaliar os conceitos de ‘êxito’ e ‘relevância’).

Uma investida em todas as frentes, podemos esperar que Electric City dê origem a uma série de animação, comic books, making of’s e, claro, um jogo: Electric City: The Revolt, o RPG oficial do projecto para plataformas móveis como IOS e Android.
Isométrico e de aspecto muito Fall Outiano, o jogador encarnará a personagem de um rebelde que tenta libertar os habitantes das malhas da polícia secreta.

Se têm um telefone esperto e também ficaram curiosos dêem uma vista de olhos no site oficial. Depois espreitem também o trailer que tem a banda sonora em loop (sempre indicativo da pressa imposta nestes lançamentos) e o Tom a imitar um narrador a sério… como o James Earl Jones ou o Morgan Freeman.