Smart As… e não se enganem ao escrever, é um jogo que serve essencialmente para testar o nosso poder cerebral, com ou sem treino diário e através de gráficos e estatísticas onde podemos avaliar o percurso desse mesmo treino. Dividido em quatro géneros de quebra cabeças e indicado para quatro parcelas do cérebro: Observação; Linguagem; Lógica e Aritmética, Smart As… testa a capacidade cerebral, desenvolve-a e ainda se consegue retirar algumas dúvidas sobre algo que poderíamos dar como certo e que afinal não o são.

Localizado em Português (Falado e escrito em Português), o jogo/aplicação educativa na nossa língua materna merece críticas boas e menos boas. Menos boas pelo voice acting não se igualar ou muito menos superar a voz original do comediante inglês John Cleese; boas pelos quebra-cabeças e animações destes estarem de acordo com palavras em Português nos testes de Linguagem, por exemplo. Muitos já sabem que sou muito crítico em relação às dobragens que se fazem em Portugal e que não é por falta de qualidade dos estúdios, mas pelas opções de custo, normalmente. O que mais choca não é propriamente a voz do Actor Português, mas a diferença depois de ouvir o brilhantismo de John Cleese (Some say Cheese!). Passa de fluído a forçado; passa de Comediante com grande experiência a comediante efémero; passa de bom gosto a paliativo; passa de palavras soltas a palavras demasiado articuladas.

A cara de John Cleese quando ouviu a versão em Português

 

Não entendam que é meramente depreciativo, pois um jogo como Smart As… estar localizado em Português e estar perfeitamente adequado com os jogos é por si só um instrumento didáctico e educativo que muito fazem falta por cá, em casa ou nas escolas. Estar a criticar a dobragem é também mera opinião e não será propriamente vista da mesma forma por muitas pessoas, sejam adultos ou mais jovens. Por isso, a experimentação de cada um é que deverá avaliar esse factor.

Falemos do que realmente é bom em Smart As… : A natureza dos jogos que requerem astúcia e domínio; o treino e avaliação diária de desempenho; e a comparação de pontuação com qualquer pessoa de todo o Mundo. Saberemos, desta forma, se somos mais inteligentes que os Norte-Americanos, os Alemães, o vizinho ou aquela menina que tirou melhor nota no teste de Português. Está na hora de mostrar que em Portugal há um povo inteligente e não vive apenas de aparência. Quem sabe se não descubramos pequenos génios que tanto precisamos em aritmética. Elevaria a média nas notas de matemática em todo o País e fariam melhores contas ao comprar carros de luxo no sector público.

Ora, 57 a dividir por 57 = 1. (+9)

 

Neste jogo, para a PS Vita, utiliza-se principalmente os painéis frontal e traseiro para interagir e resolver puzzles, adicionando em certos casos o sensor de movimento de seis eixos da consola para direccionar objectos. O que talvez mais impressione é ao escrever números com o dedo no painel frontal, que  se demonstra bem flexível e com rigor, ao ponto de reconhecer qualquer escrita, seja bonita ou menos bonita, rápida ou menos rápida.

Também com realidade aumentada.

 

Com um grafismo simples e que resulta plenamente para o seu efeito, a abordagem varia conforme as quatro áreas de conhecimento. Observação pela cor, mas que também pode enganar pelo seu relacionamento com objectos; Jogo de palavras que podem dar várias interpretações; Relação entre Números maiores e menores com números fraccionários; Puzzles e outros. Se procuram acção, esqueçam Smart as… Se querem melhorar o vosso desempenho intelectual com mais divertimento, este é um jogo a ter em vista.

No próximo vídeo, os cromos atacam sem precedentes com o seu charme e comprova-se que mais valia ficarem em casa a demonstrarem os seus dotes através do Mundo Smart As…