As controvérsias em torno da violência sexualidade nos videojogos têm algo de cíclico. O impacto dos jogos violentos tem sido explorado e escarrapachado em jornais e revistas desde sempre, e mantém-se sempre actual porque a) os jogos como meio estão a amadurecer e a crescer em termos de visibilidade e impacto cultural, e b) continuam a ser um alvo fácil quando se pretende sacudir o capote das culpas para cima de alguém.

Existe algures uma caixinha de bodes expiatórios pronta a ser aberta sempre que alguma coisa terrível acontece, e adivinharam, os jogos estão na primeira linha. No entanto,parece-me que políticos e associações que normalmente crucificam os jogos não se importam assim tanto com os videojogos como poderíamos pensar, não seguem atentamente as notícias à procura de lenha para a fogueira – com a excepção de pessoas como o infame advogado Jack Thompson, que felizmente já passou do prazo. E digo isto apenas porque é tão fácil encontrar exemplos com que atacar os jogos, e normalmente os culpados são sempre os mesmos, tornando um pouco redundante toda a argumentação da sua influencia. O jogo Mortal Kombat foi citado na recente polémica de Sandy Hook pelo seu nome. Não me recordo de referirem que podemos arrancar a espinha dorsal dos inimigos.

Dead-Island-Riptide-Zombie-Bait-Edition

 

Enquanto procurava por pechinchas online deparei-me com esta pérola, um verdadeiro telhado de vidro. Não sei se telhado de vidro é a melhor forma de colocar a questão, mas como é tão fácil atacar os jogos pela violência que muitos representam, às vezes perdemos um pouco o nosso sentido crítico. O novo Dead Island Riptide oferecia como edição especial na Europa e Austrália (de todos os sítios) um pacote intitulado Zombie Bait Edition, que inclui nada mais, nada menos, do que um par de mamas sem cabeça nem membros. Que classe.

O problema aqui não são os seios do cadáver, nem tão pouco o facto de estar desmembrado. Existem bastantes “brinquedos”, estatuetas de séries como Twisted Fairy Tales ou Clive Barker’s Tortured Souls, do artista Todd McFarlane que oferecem representações macabras, violentas e de realismo extremo, mas o torço de Dead Island pouco tem de artístico, provocador ou subversivo. Tem o objectivo claro de ser o que é: um par de seios para colocar em cima da mesa.

Concept Art de Resident Evil 2.

Concept Art de Resident Evil 2.

O trailer de Hitman Absolution empalidece junto da edição especial Zombie Bait. A sexualização dos   zombies não é algo novo. Recordo-me por exemplo, de arte conceptual de Resident Evil 2, onde as meninas zombies apanharam o virus no ginásio, onde trabalhavam o seu corpo escultural. Analisando este caso de outra perspectiva, até que ponto não será hipócrita a celeuma em volta de um torço mutilado, quando isso é exactamente um dos resultados de jogar Dead Island, decepar cabeças, cortar braços e fazer maldades a zombies? Mas imaginemos que era um torço de um homem. Pelo menos da perspectiva de um potencial consumidor masculino (e com gostos um pouco bizarros), a escultura não teria qualquer réstia de apelo, se é que algum.

A edição norte americana é muito menos ofensiva, e até convencional, mas sem deixar de ter o seu apelo. Rigor Mortis Edition oferece uma mala de viagem, uma zombie para colocar no tablier do carro, um abre-caricas em forma de mão e um porta-chaves. Não há mamas há vista, por isso também não há polémicas.

Também uma mulher morta, mas um pouco mais composta.

Também uma mulher morta, mas um pouco mais composta.

 

Fica também a questão de onde colocar o torço. No escritório junto das figuras Pokémon, do bobblehead de Vaas Montenegro e da cabeça de Diablo? Na sala ao lado da consola, para contemplarmos o torço mutilado enquanto jogamos com os amigos? Uma coisa vos digo, se querem um apressem-se porque cheira-me que os preços vão disparar e o stock desaparecer, tendo em conta que a Deep Silver já pediu desculpa pelo sucedido. Uma nova edição especial para a Austrália também já foi anunciada, e resume-se a uma caixa de latão, um manual de sobrevivência exclusivo e itens DLC.

Dead Island Riptide é um dos 100 jogos mais aguardados no Rubber Chicken, e ansiamos que seja um passo em frente em relação ao primeiro jogo, que tinha a sua quota parte de problemas. Vejam o trailer de jogabilidade em baixo.

[youtube.com/watch?v=W1pe2ulIvvU&list=UUQFHlrGxzLyVt9hvgdQhOiw&index=1]