A pequena e experimental divisão da Ubisoft, que utiliza o seu próprio motor de jogo, o Ubi Art Framework, e que nos tem brindado com verdadeira obras de arte multimédia como Rayman Legends e Child of Light. A estética apresentada, a relembrar um pouco da BD franco-belga leva-nos à terra sangrenta que foi a Europa há 100 anos atrás. E porque a melhor homenagem possível é a memória, Valiant Hearts: the Great War traz uma belíssima abordagem à revisita que faz da Primeira Grande Guerra, onde vemos um grupo de soldados e um cão, e as memórias que tiveram entre 1914 e 1918.

Valiant Hearts: the Great War não parece um jogo que iremos jogar de ânimo leve, ou um que rapidamente esqueçamos. A carga emocional trazida pelo seu curto video de apresentação abre-nos as portas a uma história ficcional que contará as agruras da amizade no campo de batalha, e a forma como essas memórias, aliadas às cartas nunca enviadas, e às saudades no coração dos que sobrevivem marcarão para sempre as snossas vidas.

Neste que é o terceiro dia da E3 2014, este poderá ser um dos jogos que mais vontade me criou em jogá-lo. Felizmente que será lançado já no próximo dia 25 de Junho.