Confesso-me surpreendido.

Já me passaram inúmeros headsets e headphones pelas mãos, de várias marcas e preços. As minhas experiências com headsets sem fios nem sempre foram das mais proveitosas, pelo que tenho conservado uma distância higiénica de tais aparelhos de magia negra, salvo uma ou outra excepção. Gosto das coisas com fios. Com fiinhos, se faz favor. E agradeço a vossa atenção ao longo destas linhas, não deixando de relevar o caso de verem a palavra “fiinhos” numa análise a equipamento. “Fiinhos”. Pronto. Sabe bem.

Leves, bom som, simples de ligar, versáteis.

Ora bem, a SteelSeries, fiel patrocinadora do nosso Rubber Talks, já nos tinha enviado os Arctis 1 e os Arctis Pro + GameDAC para análise. As análises foram dentro do normal, dentro do esperado, talvez. Os Arctis 1 surgem como uma excelente alternativa para aquela gama de preços. Os Arctis Pro + GameDAC continuam a ser o meu headset de eleição se não estivermos a olhar à carteira. E então que dizer destes SteelSeries Arctis 1 Wireless

Disse-me surpreendido, umas linhas acima. Pois. E isso são boas notícias, neste caso. Estes Arctis 1 Wireless são surpreendentemente fáceis de instalar e utilizar. Em menos de um minuto estavam a funcionar em pleno. Sem fieiradas, sem confusões. Click, click, está feito. E o fantasma do “sem fios” esvaiu-se ao fim desses escassos segundos. O primeiro impacto é persistente e traduz-se em pouca coisa:


Muito boa qualidade de som, a exemplo dos anteriores Arctis. Muito confortáveis. Muito leves. 

Claro que também há forma de ligar as coisas por cabo. Jack-Jack de 3,5mm permite a ligação a consolas e a outro tipo de equipamentos.

Desenvolvendo, já dissemos tudo o que havia para dizer desta gama de headsets Arctis. Som claro, nítido, rico e equilibrado em termos de graves e agudos, a beneficiar de um bom isolamento acústico e do equalizador incluído no SteelSeries Engine. E um conforto absurdamente viciante que me fez continuar a usá-los bem além do que seria um tempo adequado para vos escrever estas linhas de análise. Leves, aconchegantes sem constringir e aquecer em demasia e a deliciosa maravilha da liberdade que a ausência de fios lhes confere. Ohhhhh, era capaz de me habituar a isto.

Pior, já me habituei. 

A ligação destes Arctis 1 Wireless ao computador é tremendamente simples. Um cabo que funciona simultaneamente como uma extensão e como um adaptador USB Type-C (preparem-se que vão ouvir falar cada vez mais disto. É a recente nova iteração do padrão USB). Liga-se esse cabo a uma porta USB. Liga-se o Dongle (receptor/emissor) incluído à porta USB Type-C. Liga-se o headset mesmo a tempo de ouvir o Xaraaaam ilustrativo. Mas a pequena maravilha deste headset é mesmo esse receptor. Dá para o PC. Mas dá sobretudo para o telemóvel. Para o tablet. Para uma Nintendo Switch. Para tudo o que tenha portas USB Type-C! O que, aliado ao facto do microfone ser amovível, permite que este headset seja usado como headphones para uma passeata, uma corrida ou uma viagem de metro refugiados no universo da nossa playlist preferida do Spotify. E a diabólica simplicidade da forma como a ligação é feita torna tudo tão fácil. É ligar o receptor, carregar no Play e já está. Chegaram a casa e vão ver uma série no vosso Tablet? É só colocar o Dongle. Vão passar para o PC? Dongle. Vão sair pela porta fora, acompanhados da vossa Nintendo Switch ou do vosso telemóvel? Dongle. Ding Dongle

Jogar em qualquer lado com bom som, sem fieiradas!

A simplicidade traduz-se em usabilidade e em conforto numa multitude de ambientes possíveis. Este headset cedo se tornou um companheiro de viagem obrigatório nas viagens de Metro e passeatas com os cães. E o preço está perfeitamente dentro daquilo que se poderia esperar despender um equipamento do género.

Perfeito? Dir-se-ia que sim. Há 2 preocupações que são apenas isso: a durabilidade e a impermeabilidade. A leveza e o conforto deixam-me a questionar – embora sem razões para preocupação, até ao momento – sobre a durabilidade e resistência do arco do headset. Parece leve demais para ser verdade. E, claro está, com este headset a dar o salto para o exterior, surgem também preocupações com a impermeabilidade do mesmo, face à ameaça de chuva que possa ocorrer. Não encontrei grandes informações sobre isso, pelo que, de momento, deixo os meus em casa quando há ameaça de chuva. Mas isso deixa-me triste, o que é simultaneamente um dos melhores elogios para este headset.

Não é?