Com 12 meses que a meu ver não foram os mais profícuos dos últimos anos, houveram diversos jogos que se destacaram. Curiosamente dois deles são remakes, mas exemplos excelentes de como dar a conhecer jogos clássicos.

Nas minhas escolhas há sequelas, mas também jogos originais, mas curiosamente, há um jogo improvável de constar numa lista elaborada por mim. Este top 10 +1, ou os 10 cavaleiros do GOTY, são os jogos que mais me tocaram este ano, pelas diferentes características. Alguns deles ficam também marcado por jogá-los com expetativas muito baixas, o que torna mais delicioso o seu destaque.

Certezas há que o próximo ano, na despedida das atuais gerações PlayStation e Xbox, ainda vamos receber pérolas impressionantes. Até 2020!