Fernando Pessoa, poeta português.

Caçada Semanal #261

O meu pessoanismo latente obriga-me volta e meia a citar aquele que é para mim – e não estou sozinho nesta consideração – o maior poeta da Humanidade. Se há dias referia no centésimo episódio do Split-Chicken que I know not what tomorrow will bring, a última frase escrita pelo Poeta antes de morrer, começo esta caçada dedicada aos indies com uma apropriação do final do último poema escrito pelo Pessoa antes de morrer. 

Os 2 indies do qual falamos hoje são apenas uma pequena gota no oceano de o que originalidade mercado nos brinda há mais de uma década.

Insurmountable [PS4, PS5, PC, Xbox One, Xbox Series, Switch]

Quando no final dos anos 1990 os media portugueses estavam eufóricos com o feito histórico de ver o primeiro alpinista português a conquistar o Everest, criou-se em mim um misticismo sobre João Garcia. Uma admiração pela sua tenacidade era exponenciada pelo meu alto sentido de preservação, e uma certeza: não me parece uma actividade que eu algum dia venha a ter coragem de participar. 

Insurmountable é um curioso jogo indie que tenta traduzir esse sentimento de aventura e sobretudo de perigo para um strategy survival rogue-like. Não se assustem já com esta ideia de rogue-like, é que os autores de Insurmountable decidiram criar o seu jogo com um objectivo aparentemente simples: escalar montanhas e conseguir descer para uma zona segura. Mas, assim como na vida real, não existem saves ou continues: e se morrermos perante as agruras da escalada de uma montanha, teremos de começar do início.

Uma run, aliás, corrijo, uma escalada com sucesso vai exigir-nos que consigamos chegar ao topo de três montanhas e que consigamos descer em segurança. Para isso temos cinco estatísticas: vida, energia, oxigénio, temperatura e sanidade e três classes: aventureiro, cientista e jornalista, cada um com habilidades e equipamento distinto.

Há uma dimensão de tactical strategy na forma como escolhemos os picos e inclinações que o nosso personagem sobre, que escolhemos num sistema hexagonal. Cada um destes movimentos vão fazer trigger a eventos que acontecem ao estilo choose your own adventure, proceduralmente gerados com vasta aleatoriedade e repetibilidade.

Insurmountable é um jogo original que pega nos conceitos de um survival game sem ter de os repetir, e aplica-os a um jogo de estratégia por turnos.

The Survivalists [PC, PS4, Switch, Xbox One]

The Survivalists chegou-nos no final do ano passado mas por alguma razão ficou por aqui a marinar. Talvez seja pela valente saturação de survivals com todos os seus clichés, e a necessidade de cortar milhares de árvores e de partir outros milhares de pedras que nos cause alguma reticência inicial em aventurar-nos naquilo que pode ser apenas mais um jogo do género.

Neste jogo – imagine-se – damos à costa numa ilha depois de um naufrágio e temos de sobreviver… e começamos essa missão a partir madeira e pedras. Uma ideia tão original que já vimos tantas vezes aplicadas que quase dispensamos tutorial. Felizmente que The Survivalists consegue introduzir um toque seu a este género.

O primeiro é que The Survivalists está dentro do universo de The Escapists (teremos fugido de uma espécie de Alcatraz e encontrado porto seguro numa ilha remota?), e portanto não é de admirar a semelhante direcção artística deste jogo em pixel art 2.5D.

Com uma pequena ligeira mudança podemos ver que este é um survival sandbox com um tom diferente dos milhentos que vão aparecendo. E essa ideia nova é o facto de podermos amestrar os muitos macacos que habitam a ilha para nos facilitarem as tarefas. Mecanicamente é simples: se lhes mostrarmos uma acção (como cortar uma árvore) eles vão repetir até que os ensinemos ou orientemos a fazer outra coisa.

Esta pequena grande mudança deixa-nos um pouco mais livres para explorar esta ilha, as suas cavernas e recantos. The Survivalists é aliás um jogo mais focado na exploração deste ambiente, ainda que sintamos que o loop mecânico se esgota de maneira relativamente rápida.

Reconduzindo o resto do jogo a uma série de checklists dos survivals, como o crafting necessitar de mesas de trabalho, onde vamos desbloqueando novas receitas a partir de uma tech tree, para além da identidade única deste universo e dos macacos, há pouco que justifique o nosso investimento de tempo. Cientes disso, existem promessas no horizonte da equipa da Team17 de introduzir novos elementos que possam criar o loop mecânico mais criativo do que é na actualidade.