Zelter é um daqueles jogos que é mais um só mais um numa enxurrada de géneros que vai beber influencia a DayZ e pega uma formula single play e cooperativa mais básica e simplificada como 7 Days to Die e Project Zomboid.

Tem um editor de personagem básico mas suficiente

A premissa aqui é sobreviver vários dias a uma horda de zombies que vai crescendo em numero e agressividade. Temos à nossa disposição um mundo onde podemos recolher recursos e construir ferramentas, umas para nos proteger outras para construir mais ferramentas.

A abordagem é simplista com um grafismo também este mais infantil com mecânicas que já vimos em jogos como Terraria, Forager e outro jogo aqui visto por mim, o Tinkertown. Mas Zelter está mesmo mais incompleto que o Tinkertown o que o torna ainda menos recomendado pois não evoluiu grande coisa desde que foi lançado em Outubro do ano passado e sem qualquer desculpa pois até mesmo o próprio Tinkertown que estava muito incompleto hoje continua em evolução e desenvolvimento com uma interação satisfatória e saudável com a comunidade.

O Assistente dá algumas indicações mas é acessório

O mesmo não se pode dizer deste jogo que até tem potencialidade, mas que parece praticamente abandonado desde então. Não quero ser injusto porque ambos os jogos mantêm um estatuto de Acesso Antecipado com uma velocidade de desenvolvimento a passo de caracol ou pior. O jogo não é mau e até divertido nas primeiras horas: podemos aproveitar as casas abandonadas e dai fazê-la a nossa base, o crafting para um jogo de acesso antecipado era mais completo que muitos jogos que por aí andam, mas estes meses passados nada evoluiu ou foi  adicionado ao que aqui temos.

Gostei bastante de certo pormenores até, como o facto dos zombies quando estão barrados no caminho por um carro ou caixote, começam a destruí-lo deixando um rasto de recursos espalhados na área destruída que nós podemos recolher para a construção de objetos que nos podem ser úteis.

A interação com o mundo é básica mas tem algumas boas mecânicas e potencialidades que podem ser exploradas!

Os objectos podem não ser muito vastos mas são os essenciais, como o martelo, machado, uma besta que usamos para matar zombies, podemos recolher metal e fazer munições para o revólver etc. Podemos criar barreiras para atrasar as hordas que vão em nossa direção mas caso destruam por exemplo a porta da casa que usamos como base, já não podemos restaura-la e fica mais à mercê de intrusões que à medida que o tempo passa aumentam de frequência, sobretudo de noite.

O sistema de crafting não é o mais complexo, mas é alguma coisa positiva neste jogo em alpha.

O jogo pode tornar-se menos aborrecido com amigos, mas a falta de objetivos e uma história, a linearidade da evolução do personagem e das suas skills apagam muito cedo a vontade de continuarmos a jogar por mais que uma hora ou duas.

Se desejam algo similar mas completo e cheio de conteúdo, recomendo o Project Zomboid, um jogo muito bom que custa quase metade do que este custa!