Alguma vez sentiram que aquele puzzle era tão difícil que sem ajuda não iam lá?

Mas depois choraram porque não tinham ninguém para vos ajudar?

Não desesperem, em Induction podem contar convosco e também . . . convosco!

Induction é um pequeno puzzle game de pequenos puzzles, onde pequenos cubos tentam fazer pequenos movimentos para poderem chegar a uma pequena meta e assim passar o pequeno nível. Esta pequena análise é feita baseada na versão para a pequena consola Nintendo Switch.

Com uma simplicidade enorme de comandos, podemos mover o nosso cubo em qualquer direção adjacente e ir empurrando caixas, subindo escadas, caindo de parapeitos até chegarmos à saída.

Há apenas um pequeno inconveniente, chegar à saída é impossível, o que normalmente é chato nos videojogos (bem como na vida em geral, e pode indicar que estejas dentro de uma loja da IKEA). A não ser que tenham uma TARDIS, ou carreguem no botão que vos permite criar o vosso próprio multiverso dentro de Induction.

Quando usas o botão de fazer reset ao tempo, todo um “eu” alternativo é criado, que replica tudo o que fizeram até ao momento em que fizeram reset, por exemplo:

Podem colocar-se em cima do botão que abre a porta, depois fazem reset ao tempo e enquanto o vosso eu do passado vai para cima do botão, o vosso eu do presente vai para a porta que esse botão abre.

E isto complica tipo . . . bastante:

Atirarem-se de plataformas ao mesmo tempo que o vosso eu do passado abre a escotilha de um dos andares mas o vosso outro eu fecha a escotilha de outro andar para caírem lá, enquanto que o vosso outro eu empurra uma caixa para cair à vossa beira para poderem desbloquear a saída final, muita coisa se passa em Induction, e por vezes senti que passei o nível sem perceber metade do que fiz.

Os níveis têm um game design bastante bem escalado, fazendo com que cada um se sinta mais difícil que o anterior, havendo pelo meio alguns níveis opcionais que são bastante bons para pôr a cabeça a trabalhar.

O som é bastante relaxante e adequado, não nos distraindo do jogo ou quebrando a imersão para nos podermos focar no puzzle em questão, vai também de encontro ao design visual minimalista, que eu pessoalmente adorei.

No geral, se virem o trailer e acharem “vou gostar disto”, provavelmente vais gostar, Induction é exatamente o que se propõe, e nada mais: uma série de puzzles uns atrás dos outros, em que têm que usar os vossos loops pelo nível como ajuda.

Se estão à espera de que no terceiro ou quadragésimo nono nível surja uma nova mecânica espetacular e o cubo comece a fazer spawn de cavaleiros ou outra coisa assim fora da caixa, esqueçam.

Isso, e se forem daquelas pessoas que desesperam e passam o nível à frente quando empancam… Desistam, porque em induction, ou passam o nível… ou vão jogar outra coisa.