Caçada Semanal #294

O trabalho de combate às listas de espera é uma batalha perene, porém há alturas que a intervenção claramente não era urgente e a meio pensamos mesmo se havia alguma necessidade em fazê-la. No meio de muitos jogos que jogamos é raro conseguir juntar num espaço de tempo tão curto dois jogos que não gostei, daí estou aqui para não vos deixar cair em tentação e livrar-vos do Malamen!

GUTWHALE [PC, XBOX, SWITCH, PS]

Gutwhale é um action shooter que funciona num loop roguelike. Iniciamos o jogo com o nosso herói no que parece ser o topo de um prédio, mas no lore do jogo é o sistema digestivo duma baleia. Faz sentido olhando ao seu nome. Começamos por escolher um chapéu que funciona como selecção de nível de dificuldade. Essa escolha não torna os adversários mais difíceis, apenas nos dá mais vidas. Com a progressão conseguimos também apanhar outros chapéus que mudam o tipo de inimigos.

Na prática limpamos andares com inimigos progressivamente mais complicados. A nossa arma inicialmente apenas tem uma bala e cada vez que a disparamos temos que a voltar a apanhar para a dispararmos novamente. Essa é a componente estratégica do jogo, pois temos que planear os movimentos para não ficarmos presos sem podermos aceder a alguma bala. Cada vez que morremos ganhamos uma bala extra e no final de cada secção podemos adquirir outras ou comprar vidas, isto é, caso tenhamos moeda para tal.

Podemos seleccionar entre dois tipos de música, uma de género electrónico que se adequa sobremaneira ao jogo em si, outra feita de assobios e estalinhos com a língua, que embora engraçada por um minuto, não encaixa no jogo de forma alguma.

Tenho a dizer que gostei das primeiras runs que fiz contudo, de forma muito rápida o jogo estagnou, tornou-se repetitivo e perdeu a minha atenção. Para ser muito honesto parece mais uma demo do que um jogo completo, mas por 4€ o que mais se pode pedir? Não tenho resposta para isto, mas já arrumei o jogo.

Agora percebo porque é que o nosso querido líder precisou que o pedisse 6 vezes para mo entregar. Podemos pensar que ele está a dormir, mas no fundo ele é uma pessoa meiga e carinhosa, preocupada com o bem estar da sua equipa.

PUSH YOUR FAMILY [PC]

Push Your Family é um party game onde empurramos outros membros da família contra partes em movimento de cada cenário de forma a que todos sejam chutados do mesmo.

A ideia é interessante, o jogo parece bonito, a física de movimento dos bonecos tipo boneca de trapos ainda mais evidente que em Humans Fall Flat é bastante engraçada porém, e usualmente há sempre um porém, o jogo é para ser jogado em multi-jogador. Os criadores tentaram de tudo. Podemos jogar online ou em casa com amigos. Online está morto, com zero mil, zerocentos e zerenta jogadores a jogar a cada dia, já a vida em casa não é muito melhor.

Admito que este jogo me fez pensar. Hoje em dia não chega uma ideia para as pessoas quererem entrar num jogo. Chegam uns empurrõezinhos para convencermos os nossos amigos ou filhos a jogar connosco? O pessoal mais novo parece cada vez mais gostar de jogos mais complexos, e mesmo os mais velhos, da nossa idade ou próximo, preferem sem dúvida jogos mais elaborados, e há disso para todos os gostos, seja Mario Kart, Mario Party, ou Just Dance (ou outros similares), porquê jogar algo tão cinzento?

Os próprios jogadores parecem ter percebido o mesmo. O meu filho disse-me que o jogo era chato. Ninguém o jogar parece dar-lhe razão.