Caça ao Indie

Análise, Caça ao Indie

Grimshade, lendas de guerra e de texugos steampunk

Apesar do foco principal de Grimshade ser a história, aquilo do qual mais nos vamos lembrar é do combate por turnos.

Análise

World War Z: melhor que o filme, mas não tão bom quanto o livro

Sem o mesmo patamar mecânico de Left 4 Dead, World War Z é a sequela espiritual possível da série da Valve, trazendo-a para a modernidade, e uma das grandes surpresas do semestre.

Análise

Mortal Kombat 11: encerrar a sangue um arco dourado

Mortal Kombat 11 chegou há dias ás lojas e é o desfecho do arco narrativo começado com o reboot da série, e assume-se como mais um ponto alto de toda a série.

Análise

Anno 1800: Revoluções Industriais por Minuto

Anno 1800 é obrigatório para todos os fãs do género. Repito: é essencial, e vai figurar na História como um dos melhores jogos de 2019.

Análise

SteamWorld Quest: a excelência forjada a ferro e vapor

Pode um dos candidatos a jogo do ano de 2019 ser um indie deck builder RPG com robots em ambiente medieval? SteamWorld Quest diz que sim.

Análise

Os dias que já não voltam: Days Gone

Days Gone não é o jogo mais relevante do género ou o mais inovador da PS4, mas é destinado a todos aqueles que adoram a temática dos pós-apocalipses zombies.

Análise

Weedcraft Inc: Farmville da Cannabis

Weedcraft Inc é um dos mais peculiares da História: onde plantamos, vendemos e gerimos um império de cannabis.

Análise

Yoshi’s Crafted World: corta, recorta, e une a família

Em Yoshi’s Crafted World o level design é de excelência, não por incluir uma grande criatividade mecânica, mas por representar uma grande originalidade na forma como são construídos os elementos de cenário com cartolina.

Análise, Board Games & Chicken Wings

Robinson Crusoe: Adventures on The Cursed Island

Robinson Crusoe: Adventures on the Cursed Island é um jogo cooperativo de 1 a 4 jogadores que toma lugar numa ilha onde a sobrevivência está amaldiçoada!

Análise, Touch Me!

Florence e̶ ̶a̶ ̶m̶á̶q̶u̶i̶n̶a̶ e o amor

Olá. Permitam-me que apresente. Sou o Ricardo Mota e não sou, habitualmente, um jogador de jogos mobile. A apresentação, vincando a negativa, serve como…