Análise

Sparklite: Zelda que também poderia ter sido

O que é que parece um The Legend of Zelda, mexe-se como um The Legend of Zelda, mas não é um The Legend of Zelda?

Análise

The Executioner: dark and interesting Fantasy World

The Executioner is a great fantasy game that puts us on the other side of the protagonist where sometimes all we have is a possibility to do bad things.

Análise

Tokyo Dark Remembrance: um passeio pela mente deturpada do Japão

Um bom point and click para a Switch com uma forte carga de horror oriental.

Análise

Need for Speed Heat: quando a noite cai e a euforia aumenta

É a adrenalina constante nos jogos nocturnos que faz de Need for Speed Heat um jogo bem melhor que os seus últimos antecessores.

Análise

A Luigi’s Mansion in Darkness

Já não é o ano do Luigi, mas isso não significa que Luigi’s Mansion 3 não seja um dos jogos do ano.

Análise

Death Stranding: como ser original em terras de convencionalismo

Death Stranding é tecnicamente irrepreensível, com uma história complexa que vai ficar ao escrutínio de cada um.

Análise, Opinião

Shadowkeep: ano 3 de Destiny 2, o ano da independência!

A 1 de Outubro saiu o aguardado Shadowkeep, este momento era há muito esperado pelos fãs e um pouco por toda a comunidade ligada aos videojogos. Porquê tão esperado? 

Análise

Death Stranding: um mergulho nas alegorias sensíveis da Morte

Death Stranding é uma obra única, e o apogeu da criatividade de Hideo Kojima. Onde a Morte é mais do que o tema recorrente, e onde o jogo é uma proposta de entendimento dela.

Análise

Little Town Hero: vou calculá-los a todos

Little Town Hero é especialmente indicado para fãs de jogos de cartas, habituados a que o duelo estratégico com o seu adversário demore largos minutos.

Análise

Luigi’s Mansion 3: I ain’t afraid of no ghosts!

Luigi’s Mansion 3 é muito divertido, continua a ser um jogo original, ainda que seja muito familiar em relação aos anteriores, e tem uma longevidade interessante, suportada pela componente multijogador.