Caça ao Indie

Análise, Caça ao Indie

Boyfriend Dungeon alia o mais ou menos de dois mundos

Boyfriend Dungeon alia uma novela visual carregada de romance a um dungeon crawler carregado.. de coisas normalíssimas. Aqui fica a análise.

Análise, Caça ao Indie

FORECLOSED peca por pensar que somos todos lorpas

FORECLOSED é um deleite para os olhos, mas a minha análise ficou completamente minada por sucessivos aspectos que me distraíram do essencial.

Análise, Caça ao Indie

The Ascent é parra a mais para a uva que tem

The Ascent começa a um nível alto mas leva a que o nosso entusiasmo decresça com o tempo. Escrevi, bem cedo, a sua análise na minha cabeça.

Análise

WONDER BOY: ASHA IN MONSTER WORLD – preso em 1994 e no PC

Há mesmo um sentimento agridoce ao jogar este Wonder Boy: Asha in Monster World.

Análise, Caça ao Indie

Omno corta mais nas gorduras que um cirurgião estético

Omno foi um jogo que joguei por impulso, mas talvez tenha sido dos jogos que mais prazer me deu jogar e fazer a análise nos últimos tempos.

Análise

F1 2021 deu-me uma bela dor de pescoço

Todos os anos os produtores tentam criar conteúdo que justifique ao jogador a compra da nova entrada na franquia. Será que F1 2021 justifica a aquisição?

Análise, Ia-me Esquecendo

Yes, Your Grace não fez o clique que faltava à nossa relação

Yes, Your Grace não é tudo o que esperava, mas há muito para gostar neste jogo.

Análise

Mario Golf: Super Rush – a análise para além do último green

Mario Golf deve ser encarado como mais um party game para jogar com amigos golfe de forma descomprometida.

Análise, Caça ao Indie

Black Skylands venceu-me pelo cansaço

Black Skylands tem imensa coisa boa, mas o que definitivamente não tem de bom é o aborrecimento que nos obriga a passar até chegarmos a esse sumo.

Análise

Uma análise a Pecaminosa – A Pixel Noir Game, com jazz de fundo

Pecaminosa é um jogo repleto de boas ideias que nos deixou com fome para algo mais.