Category - Crítica

Robocop: Rogue City – uma surpresa na noite violenta de Detroit

Análise

Robocop: Rogue City é uma boa viagem ao universo dos filmes, com capacidade de trazer boas memórias aos velhos fãs.

Super Mario Bros. Wonder: o derradeiro Doutoramento em game design

Análise

Num ano repleto de excelentes jogos, a cortina não cai até que um jogo de Super Mario venha cativar o holofote para si.

Assassin’s Creed Mirage: regresso ao passado

Análise

O aspeto focado, sem irritar o jogador com quantidades absurdas e desnecessárias de atividades, tornam o jogo divertido.

The Cosmic Wheel Sisterhood: acreditar no coração das cartas

Análise

The Cosmic Wheel Sisterhood é um dos jogos mais bem escritos que joguei este ano, e certamente um dos melhores jogos de 2023.

Marvel’s Spider-Man 2: grandes poderes trazem grandes sequelas

Análise

Marvel’s Spider-Man 2 assume-se não só como o novo patamar do que um videojogo de super-heróis deve ser, como um dos grandes candidatos a jogo do ano. 

The Crew: Motorfest – a estrada da evolução necessária

Análise

Um dos meus momentos favoritos foi deixar o asfalto para trás e partir para as escaramuças tipo Destruction Derby em formato Battle Royale.

FC 24: o campo do novo velho FIFA

Análise

A Electronic Arts deu o pontapé de arranque a mais uma temporada futebolística, tal como o faz anualmente há 30 anos. Mas este é um ano de mudança, pelo menos no nome. FIFA é passado e agora EA…

Starfield: lá em cima, há desilusões sem fim

Análise

Muitas das minhas melhores memórias videolúdicas dos últimos 20 anos foram passados em mundos da Bethesda. Starfield não será uma delas.

Mortal Kombat 1, no início era o Verbo. E o verbo é “lutar”

Análise

Mortal Kombat é uma das séries de combate mais antigas e que continua a ser atualizada com novos episódios pela equipa da NetherRealms de Ed Boon. Os jogos da série sempre se destacaram dos seus rivais Street Fighter…

Armored Core VI: Fires of Rubicon – do passado, com amor (e mechas)

Análise

Confesso que nunca fui fã de jogos de robots, sejam títulos mais focados na simulação, como MechWarrior ou mais arcade, como Gundam ou mesmo Armored Core. O principal facto é que não sou bom a jogar este tipo…