Caça ao Indie

Fica tudo em família

Os 3 indies desta semana são multiplayers locais (e não só) que nos fazem sentar no sofá ao lado da família para uma sessão divertida de jogo.

Análise, Caça ao Indie

Lost in Random: a sorte é um grilhão na luta de classes

Lost in Random é um daqueles geniais mundos que merecia uma vida para além do brilhantismo que alcançou nos videojogos.

Análise, Caça ao Indie

Press Barra de Espaço

Recompile começa bastante bem, o problema é que cedo temos efectivamente que jogar o jogo, e é aí que os problemas começam.

Caça ao Indie

Bilionários: medir genitais no espaço e jogar golf na Terra

Golf Club Wasteland: um jogo onde os bilionários se pisgaram da Terra e vêm cá apenas para jogar umas partidas de golf.

Caça ao Indie

Acção quase a preto e branco

Os dois indies de hoje são quase monocromáticos, mas sabem utilizar todo o espectro de saturação para seu proveito.

Caça ao Indie

Anda daí e conta-me uma história

Estes dois indies de hoje são um bom exemplo de duas formas diferentes como o mercado independente nos tem mergulhado no storytelling.

Caça ao Indie

Voxel e Eu

Permitam-me então um trocadilho, falando de jogos cuja direcção artística é baseada em voxels, como é o caso destes dois jogos indie de hoje. 

Caça ao Indie

Ajudem-se a vocês mesmos com Induction

Induction é exatamente o que se propõe, e nada mais: uma série de puzzles uns atrás dos outros, em que têm que usar os vossos loops pelo nível como ajuda.

Caça ao Indie

Análise: Monster Harvest

Monster Harves tenta misturar conceitos e criar um jogo maior que a soma das partes. Infelizmente, como acontece múltiplas vezes, não o consegue.

Antevisão, Caça ao Indie

Dread Templar: 2021 a vestir-se de 1997

Dread Templar é o melhor revivalismo que podemos encontrar: aquele que não se limita a prestar homenagem a um período específico,.