Category - Caça ao Indie

The Order of the Snake Scale está no passado

Análise, Caça ao Indie

Embora seja um jogo divertido e inteligente, The Order of the Snake Scale está muito no passado, e há modernizações que já custam a deixar.

Potions: a Curious Tale – a simplicidade no fundo do caldeirão

Caça ao Indie

Potions: a Curious Tale é uma relaxante história onde a mecânica de criação de poções é o elemento mais interessante.

Acreditar no coração dos dados III: SpellRogue

Caça ao Indie

SpellRogue é um dos mais divertidos e interessantes cruzamentos entre roguelike com a utilização de dados como mecânica.

Rough Justice ’84: quem disse que era fácil ter mão na justiça?

Caça ao Indie

Rough Justice ’84 torna possível resolver crimes com dados virtuais. Rouba boas ideias aos jogos de tabuleiro, mas a pouca intuitiva jogabilidade convida, muitas vezes, a esquecer as boas ideias.

Acreditar no coração dos dados II: Dicefolk

Caça ao Indie

Percebemos porque é que dentro desta nova vaga de roguelikes a utilizarem dados temos Dicefolk como um dos seus melhores exemplos.

Acreditar no coração dos dados I: Tamarak Trail

Caça ao Indie

Tamarak Trail é um roguelike interessante onde o loop mecânico que nos afasta a todos de regressar para mais uma tentativa.

Let’s School: Já Tocou no Japão

Caça ao Indie

Infelizmente, Let’s School não tem a profundidade de outros jogos do género, nem de perto nem de longe.

The Thaumaturge: mais uma página brilhante do livro dos RPGs narrativos

Caça ao Indie

Vale a The Thaumaturge o seu maravilhoso worldbuilding visual e narrativo, numa história negra que vale a pena conhecer e deixar que as horas passem.

Sixty Four: há beleza ao clicar no vácuo

Caça ao Indie

Existe ainda muito trabalho de balanceamento para impedir Sixty Four de cair numa lógica de repetição e monotonia.

Sweet Dreams Alex: a importância do vocativo

Caça ao Indie

Sweet Dreams Alex é uma agradável surpresa, especialmente na forma como consegue manter o desafio e a inovação, nível após nível.