Artigos de Ricardo Correia

Análise

World War Z: melhor que o filme, mas não tão bom quanto o livro

Sem o mesmo patamar mecânico de Left 4 Dead, World War Z é a sequela espiritual possível da série da Valve, trazendo-a para a modernidade, e uma das grandes surpresas do semestre.

Análise

Mortal Kombat 11: encerrar a sangue um arco dourado

Mortal Kombat 11 chegou há dias ás lojas e é o desfecho do arco narrativo começado com o reboot da série, e assume-se como mais um ponto alto de toda a série.

Análise

Anno 1800: Revoluções Industriais por Minuto

Anno 1800 é obrigatório para todos os fãs do género. Repito: é essencial, e vai figurar na História como um dos melhores jogos de 2019.

Análise

SteamWorld Quest: a excelência forjada a ferro e vapor

Pode um dos candidatos a jogo do ano de 2019 ser um indie deck builder RPG com robots em ambiente medieval? SteamWorld Quest diz que sim.

Análise

Weedcraft Inc: Farmville da Cannabis

Weedcraft Inc é um dos mais peculiares da História: onde plantamos, vendemos e gerimos um império de cannabis.

Caça ao Indie

Fazer a Kessel Run em 12 semanas e meia

Muita gente sonhou em ser o Han Solo a pilotar a Millennium Falcon. X4: Foundations e Bow to Blood trazem duas abordagens diferentes à pilotagem de naves.

Opinião

“A Sony está a desenvolver a PS5”. Que informação tão dramática.

Agora que Cerny partilhou informações específicas sobre a futura consola da Sony, pensemos um pouco na vacuidade dos clickbaits de manchetes constituídas apenas por uma frase óbvia.

Caça ao Indie

Há uma nova vida para os jogos de cartas

Deck of Ashes e Mythgard, um mais inovador que o outro, são a prova que o interesse em jogos de cartas cresceu, e muito.

Análise

Yoshi’s Crafted World: corta, recorta, e une a família

Em Yoshi’s Crafted World o level design é de excelência, não por incluir uma grande criatividade mecânica, mas por representar uma grande originalidade na forma como são construídos os elementos de cenário com cartolina.

Passatempo

Até parece mentira! Mas já há vencedor

Já sabemos qual a mentira de 1 de Abril mais votada pela redacção, cujo autor vai levar 21 jogos para casa.