Tag - Devolver Digital

Reigns: Three Kingdoms – Romance (no inder) dos três Reinos

Caça ao Indie

Reigns: Three Kingdoms é o mais complexo e desafiante de todos os jogos da série.

The Cosmic Wheel Sisterhood: acreditar no coração das cartas

Análise

The Cosmic Wheel Sisterhood é um dos jogos mais bem escritos que joguei este ano, e certamente um dos melhores jogos de 2023.

Shadow Warrior 3 e os pregos no caixão

Caça ao Indie, Opinião

Cada vez mais um humor de nicho, Shadow Warrior 3 teima em mostrar porque é difícil mexer neste género.

Cult of the Lamb, um jogo de culto. Literalmente

Análise, Caça ao Indie

Com limitações em termos de desbloqueáveis e progresso do personagem, Cult of the Lamb um dos melhores e mais originais jogos que joguei este ano. 

Card Shark: uma vida de engano e a mentira falada às cartas

Caça ao Indie

Card Shark é genial na forma como aproveita toda a lógica centenária das batotas e vigarices nos jogos de cartas e os transforma num sistema de mecânicas complexas.

Terra Nil ainda não é o jogo que procuro

Antevisão, Caça ao Indie

Terra Nil é um reverse city builder, aprendi este termo agorinha. Fora isso, tento nesta antevisão mostrar porque me parece que será um jogo interessante.

Disc Room: as mil maneiras de ser fatiado como fiambre da pá

Caça ao Indie

Chamam-lhe Disc Room, mas podiam ter chamado Zona da Charcutaria do Continente, ou, Vida de Nobre (referência à marca, e não à aristocracia).

Carrion: o monstro dentro de nós

Caça ao Indie

Carrion foi uma das maiores surpresas do ano, vindo praticamente do nada, este jogo de horror reverso é refrescante, repleto de humor negro e tem uma jogabilidade muito divertida.

Heave Ho: são dois braços, mas não servem para dar abraços

Caça ao Indie

Heave Ho é uma aposta mais que segura, não fosse ter vários pares de braços para o… segurar. 

My Friend Pedro: Bananas Assassinas

Análise

My Friend Pedro é daqueles títulos que nos colocam constantemente um sorriso na cara, porque é estúpido e divertido, e repleto de estilo.