indie

Caça ao Indie

Uma ode ao mestre da táctica

Jorge Jesus e jogos de estratégia e turn based tactical RPGs indies. Um artigo feito no Paraíso.

Análise, Caça ao Indie

Meia hora à Benfica

Apple Slash é muitíssimo curto e será esse o seu maior problema. Foi um teste a ver como as pessoas reagiam. Espreitem a análise para as tais reacções.

Caça ao Indie

Quem é afinal o Mestre dos Robots?

Os 2 indies desta semana são dois bons exemplos de pequenos jogos com robots como protagonistas.

Caça ao Indie, Opinião

A análise impossível a um jogo que não existe

Sky Link teve um desenvolvimento turbolento, sendo um resultado final um jogo multijogador online onde ninguém se liga dias a fio. Deixo a análise possível.

Caça ao Indie

A morte anunciada da minha paciência com Highrisers

O conceito era tão prometedor, mas foi como se visses um pequeno Mozart não querer nada com música e dedicar-se à agricultura.

Caça ao Indie

A solo nos céus, ou o solo na guitarra

Skydrift Infinity e God of Riffs mostram-nos duas abordagens distintas para jogar sozinho.

Antevisão, Caça ao Indie

Zelter: acesso “Abandonado”

A falta de objetivos e uma história pagam muito cedo a vontade de continuarmos a jogar por mais que uma hora ou duas.

Caça ao Indie

Glyph: uma esfera com uma lenda para contar

Glyph tem um ambiente que é perfeitamente encapsulado pelos elementos visuais e sonoros “herdados” dessa obra máxima dos videojogos que é Journey.

Análise, Caça ao Indie

Boyfriend Dungeon alia o mais ou menos de dois mundos

Boyfriend Dungeon alia uma novela visual carregada de romance a um dungeon crawler carregado.. de coisas normalíssimas. Aqui fica a análise.

Análise, Caça ao Indie

FORECLOSED peca por pensar que somos todos lorpas

FORECLOSED é um deleite para os olhos, mas a minha análise ficou completamente minada por sucessivos aspectos que me distraíram do essencial.