Tag - pixel art

Rift Rangers fica a milhas do original

Análise, Caça ao Indie

Mesmo com todos os ingredientes para se tornarem um jogo divertido, há alguns casos em que, quer seja para o imitar, quer seja para não o fazer, se perde muito potencial.

Dungeon Drafters: a masmorra da oportunidade perdida

Caça ao Indie

Dungeon Drafters: quando um jogo tem tudo para ser melhor do que é, mas faltou integrar um especialista de UX na equipa.

Quero fumar o mesmo de quem fez Hero’s Hour

Caça ao Indie, Ia-me Esquecendo

Hero’s Hour é a loucura adaptada a um jogo de estratégia. Um jogo que arriscou em muitas das suas opções, mas que se revelou um poço sem fundo de diversão.

Rusted Moss: metroidvania depois do fim do mundo

Caça ao Indie

Rusted Moss, publicado pela japonesa PLAYISM, é uma das grandes descobertas de metroidvanias deste ano.

Soccer Story fez-me voltar a ser o Tsubasa

Análise, Caça ao Indie

Soccer Story consegue caracterizar o mundo como se este estivesse a ser visto pelo olhar optimista de uma criança. Adoro!

Um pouco mais de sal e pimenta para Souldiers

Análise, Caça ao Indie

Gradualmente vou gostando mais de metroidvanias e Souldiers estava no meu menu. Escolhi e degustei, mas acho que o meu gosto está a virar gourmet.

Astral Ascent: fuga do Hades, ou fuga do Céu

Caça ao Indie

Astral Ascent é o melhor sucedâneo a aplacar a fome que muita gente deve ter por algum jogo com a mesma abordagem, rejogabilidade e desafio de Hades.

B.I.O.T.A.: o melhor metroidvania de Game Boy, que não é de Game Boy

Caça ao Indie

B.I.O.T.A. é uma verdadeira surpresa que me levou de imediato para o meu Game Boy, com a originalidade e argumentos que o vão tornar memorável dentro do género.

Craft Hero: os bons jogos não se medem aos palmos. Nem aos pixéis.

Antevisão, Caça ao Indie

Um interessante sandbox survival game com um preço baixo e que poderá ser dos jogos minimalistas com maior potencial dos próximos meses.

Wife Quest foge ao estereótipo

Análise, Caça ao Indie

Wife Quest é um jogo interessante, que mistura alguns conceitos apresentando uma proposta que nem inventa a roda, nem decepciona. Então vale a pena?