platformer

A Hora do Meh

A Hora do Meh: já lá vão Trinta, cara… ças!

Quatro anos depois da primeira A Hora do Meh, a trigésima edição fecha o ano com 3 dos jogos mais meh deste final de 2019.

Caça ao Indie

Os indies a darem-nos música. Literalmente

Valham-nos os indies para ainda termos boas ideias de jogos à volta de música.

Caça ao Indie

Exception: combater o malware de arma em punho

Exception pega no conceito clássico dos jogos de plataformas que é percorrer os níveis repletos de obstáculos e inimigos o mais rápido possível, até chegar à meta final.

Caça ao Indie

E de repente: Outono

O Outono chegou, e com ele mais 3 indies para jogar esta semana.

Caça ao Indie

Million to One Hero. Milhões de possibilidades ignoradas.

Million to one hero, diz que é uma espécie de Mario Maker.

Análise

Super Mario Maker 2: diversão e conteúdo virtualmente infinito

Não só os criadores que têm mais ferramentas para criarem níveis mais elaborados e sofisticados, como aqueles que apenas estão interessados na diversão têm um número infinito de níveis para descobrir.

Análise

Super Mario Maker 2: a mala do Sport Billy da Switch

Como a mala do titular Sport Billy, conseguimos tirar de dentro do Super Mario Maker 2 uma mão infinita de hipóteses.

Caça ao Indie

Hell is Other Demons: a canção da depuração

Com uma banda sonora excelente que se ajusta na perfeição com tudo o que Rahm conseguiu fazer com estes 8 bits e uma paleta de cores reduzida, Hell is Other Demons é uma das excelentes surpresas do mercado indie de 2019.

Análise

Yoshi’s Crafted World: corta, recorta, e une a família

Em Yoshi’s Crafted World o level design é de excelência, não por incluir uma grande criatividade mecânica, mas por representar uma grande originalidade na forma como são construídos os elementos de cenário com cartolina.

Caça ao Indie

Parabéns. A bicentésima caçada indie está aqui

Duzentas caçadas semanais depois, aqui estamos.