PS4

Análise

Team Sonic Racing: é possível mungir um ouriço?

Team Sonic Racing é interessante, mas sem uma equipa completa de humanos minimamente decentes numa pista de kart virtual, acaba por ser uma aposta quase exclusivamente indicada para os fãs do ouriço.

Análise

Blood & Truth: o mundo pelos olhos de Guy Ritchie

Com Blood & Truth, o PSVR recebe no mesmo mês o segundo de um conjunto de exclusivos obrigatórios para VR.

Caça ao Indie

Heaven’s Vault: como conceber a verdadeira arqueologia linguística

Heaven’s Vault é um jogo eminentemente narrativo, naquilo que é a tradução mais realista possível do que é o verdadeiro trabalho científico e académico da arqueologia, de explorar, investigar e criar um sentido a elementos passados, neste caso, uma língua perdida na memória.

Caça ao Indie

Há tanto espaço para bons indies desenhados à mão

Vejamos o caso dos indies, que com poucos recursos mediáticos têm de conseguir conquistar os seus públicos com o que têm à mão.

Análise

Rage 2: sem razão para fúria ou entusiasmo

Rage 2 foi anunciado numa E3 e caiu no esquecimento de muitos. Destino que lhe estará reservado depois do lançamento.

Análise

A Plague Tale: Innocence, a fragilidade e o medo de mãos dadas

Sejam os jogos de luzes e partículas, as brilhantes modelações e animações dos personagens, os detalhes e construção do cenário, cada momento de A Plague Tale: Innocence é uma verdadeira maravilha artística.

Análise

Jupiter & Mars: potencial desperdiçado

Quando me sentei à minha cadeira para escrever este artigo, a primeira palavra que me ocorreu para iniciar o texto foi «Infelizmente». Infelizmente, infelizmente a…

Análise

Um cocktail de coisas chamado Fade to Silence

“- Ó Zé, sabes o que é que os putos curtem jogar nos dias de hoje?”, pergunta alguém responsável pela criação de Fade to Silence, antes de fazer um pot-pourri de jogos.

Gomu Gomu no Chicken

Fate/EXTELLA Link: regresso à terra do button mashing

A par do seu antecessor, Fate/EXTELLA LINK não vai de todo mudar a minha vida, e é muito provável que daqui a uns meses já nem me lembre que o joguei, mas não deixou de me divertir enquanto durou.

Análise

World War Z: melhor que o filme, mas não tão bom quanto o livro

Sem o mesmo patamar mecânico de Left 4 Dead, World War Z é a sequela espiritual possível da série da Valve, trazendo-a para a modernidade, e uma das grandes surpresas do semestre.