puzzle platformer

Antevisão

Tinykin: mais que uma homenagem a Pikmin

Tinykin promete ser uma aventura divertida e colorida, inspirado em jogos como Pikmin, aliás o título parece mesmo uma analogia.

Caça ao Indie

Está um português, um espanhol e um ucraniano e… são todos indies

Apesar do início de uma típica anedota portuguesa não quero imediatamente dizer que estamos perante três indies anedóticos. Muito pelo contrário.

Análise, Caça ao Indie

Pompom é moderno à moda antiga

Pompom é um daqueles jogos que é exactamente o que promete ser. Tem várias virtudes, a melhor das quais, ser excelente. Mas o que é o jogo?

Caça ao Indie

Rolos fotográficos e pincéis: armas de heróis

Os dois jogos desta caçada são retro na abordagem, mas inovadores na inventividade.

Análise, Caça ao Indie

Time Loader saiu-me na ronha

Quando uns não podem, estão outros a morrer. Se não é assim é parecido. Time Loader foi uma surpresa que me caiu no colo de forma inesperada. Eis a análise.

Análise, Caça ao Indie

Exo One é uma pedrada no charco

Exo One é um jogo muito misterioso e muito chamativo para quem, como eu, espiolha muitos trailers. Será que toda esta aura tem fundamento?

Análise, Caça ao Indie

Press Barra de Espaço

Recompile começa bastante bem, o problema é que cedo temos efectivamente que jogar o jogo, e é aí que os problemas começam.

Análise

Análise – Psychonauts 2: jogo de nicho é a tua prima!

Psichonauts 2 melhora em todos os aspectos o primeiro jogo da franquia. Será isso suficiente para o retirar da lata dos jogos de nicho?

Caça ao Indie

Quem é afinal o Mestre dos Robots?

Os 2 indies desta semana são dois bons exemplos de pequenos jogos com robots como protagonistas.

Caça ao Indie

Glyph: uma esfera com uma lenda para contar

Glyph tem um ambiente que é perfeitamente encapsulado pelos elementos visuais e sonoros “herdados” dessa obra máxima dos videojogos que é Journey.