Shoot'em up

Caça ao Indie

Criar jogos ontem, como hoje

Os 3 indies desta Caçada aprenderam muito com os jogos do passado. Uns mais do que outros.

Análise

Pawarumi: o piscar de olhos asteca a Ikaruga

Pawarumi é um shoot’em up interessante, com óbvias inspirações no magnânimo Ikaruga, mas falta-lhe mais polpa mas alimentar o adocicado sumo que nos dá.

Antevisão

Freedom Finger: um manguito no espaço sideral

Já joguei dezenas (centenas?) de shoot’em ups, mas acho que nunca joguei a nenhum que seja realmente tão diferente quanto Freedom Finger.

Opinião

Naves, Realidade Virtual e acção: Towards a Perilous Jouney

Towards a Perilous Jouney (TPJ) é um action shooter para VR carregado de acção e promete queimar algumas calorias. TPJ coloca-nos aos comandos de um…

Caça ao Indie

À conquista do mundo

X-Morph: Defense e Dominari Tournament são dois indies que nos falam de como conquistar mundos. Como os Da Vinci também fizeram.

Caça ao Indie

E agora para algo nada (indie)ferente

Para um indie chamar a atenção sobre si tem que ser diferente. Completamente diferente.

Caça ao Indie

À caça com a Switch – parte I

A torrente de indies começa a transbordar na Nintendo Switch.

A Hora do Meh

It’s a Cruel, Cruel SumMEHr

O Verão pode ser bom, mau ou assim-assim. Os jogos também. Esta é a primeira parte das crónicas de jogos meh deste Verão.

Caça ao Indie

Blue Rider: Old School Shooter na PS4

Blue Rider é um shoot’em up argentino desenvolvido para a PS4 e o Steam, e qe traz um feel clássico para a modernidade.

Análise

Stellar Interface: os shoot’em ups falam português

Stellar Interface é um shoot’em up roguelike que não só fala português como dizem que até foi feito em Portugal.