steam

Caça ao Indie

Está um português, um espanhol e um ucraniano e… são todos indies

Apesar do início de uma típica anedota portuguesa não quero imediatamente dizer que estamos perante três indies anedóticos. Muito pelo contrário.

Caça ao Indie

Astral Ascent: fuga do Hades, ou fuga do Céu

Astral Ascent é o melhor sucedâneo a aplacar a fome que muita gente deve ter por algum jogo com a mesma abordagem, rejogabilidade e desafio de Hades.

Caça ao Indie

B.I.O.T.A.: o melhor metroidvania de Game Boy, que não é de Game Boy

B.I.O.T.A. é uma verdadeira surpresa que me levou de imediato para o meu Game Boy, com a originalidade e argumentos que o vão tornar memorável dentro do género.

Caça ao Indie

Blast Brigade: o genial filho ilegítimo de Marco Rossi e Samus Aran

Podia rezar ao Nosso Senhor do Coisinho se ele me ouvisse, mas vou mesmo orar à padroeira dos metroidvanias se ela existir.

Caça ao Indie

Simulações em acesso antecipado

Os 3 indies desta caçada são simuladores ainda em Early Access. Valerão a pena?

Caça ao Indie

Avatares anime e barcos piratas nos céus, aos tiros

Os dois indies desta semana trazem-nos uma visão retro e uma visão contemporânea para os shooters arcade.

Caça ao Indie

Salvé mechas nas alturas

Os 2 indies desta semana têm robots gigantes como protagonistas.

Caça ao Indie

Desportos radicais no conforto do sofá

Valham-me os videojogos para poder, mesmo de forma virtual, correr alguns riscos. Os dois indies de hoje trazem formas muito.

Antevisão, Caça ao Indie

Craft Hero: os bons jogos não se medem aos palmos. Nem aos pixéis.

Um interessante sandbox survival game com um preço baixo e que poderá ser dos jogos minimalistas com maior potencial dos próximos meses.

Análise

Tiny Tina’s Wonderlands: looter shooter par(ódia)ooter

É com alguma pena que sinto que o jogo poderia ser muito mais que uma simples paródia aos jogos de fantasia e de tabuleiro.