Tag - Xbox One

Harvest Moon: The Winds of Anthos – estar melhor não significa estar bom

Análise

Harvest Moon: The Winds of Anthos é o melhor Harvest Moon em muitos anos, mas isso não faz dele um jogo bom.

Minecraft Legends: estratégia em voxel

Análise

Minecraft Dungeons foi uma aventura bem mais divertida e interessante do que esta experiência de estratégia. 

DREDGE: o mar é escuro e cheio de terrores

Caça ao Indie

DREDGE é a grande surpresa deste primeiro trimestre e um dos melhores jogos que joguei em 2023, até agora.

No More Heroes 3: a piada que se recusa a morrer

Análise

Talvez o problema de No More Heroes 3 seja o de ainda estar preso em 2007.

War Robots: Frontiers – mechas do tamanho de um telemóvel, maiores que prédios

Antevisão

War Robots: Frontiers é uma boa conversão do mindset criativo e o loop mecânico de um jogo mobile para o ambiente de PC.

Chenso Club: de salto em salto no revivalismo

Caça ao Indie

Chenso Club podia ficar encerrado num mero revivalismo dos action platformers da era 16 bits, mas quis ir mais longe.

Saints Row: a absurda oportunidade perdida

Análise

Saints Row tinha tudo para ser um sandbox divertido, mesmo que não procurasse inventar nada.

Cult of the Lamb, um jogo de culto. Literalmente

Análise, Caça ao Indie

Com limitações em termos de desbloqueáveis e progresso do personagem, Cult of the Lamb um dos melhores e mais originais jogos que joguei este ano. 

As 9117 vidas de Dragon Ball Xenoverse 2

Momento Zen, Opinião

Enquanto forem vivos aqueles que não perdiam o próximo episódio, a Bandai Namco também não perderá as nossas carteiras.

Dawn of the Monsters: ruas de fúria em tamanho gigante

Caça ao Indie

Dawn of Monsters não só é respeitoso com o material no quase se inspira, como consegue servir como criativa homenagem ao género kaiju.