Xbox

Análise, Ia-me Esquecendo

Yes, Your Grace não fez o clique que faltava à nossa relação

Yes, Your Grace não é tudo o que esperava, mas há muito para gostar neste jogo.

Caça ao Indie

Apontar é feio, ensinou-me um britânico

Os dois jogos desta semana são aventuras point and click, por entre as tantas que o mercado nos oferece hoje em dia.

Caça ao Indie

Pecaminosa: a Pixel Noir Rant

Pecaminosa – A Pixel Noir Game é um jogo que segui durante imenso tempo, tendo esse tempo criado expectativas irrealistas sobre o que deveria esperar.

Caça ao Indie, Ia-me Esquecendo

Eis The Messenger, O Grande!

The Messenger é seguramente um dos meus jogos favoritos de sempre. Mais que uma análise este texto é uma carta aberta que mostra o quanto gosto dele.

Análise

Minecraft Dungeons: Hidden Depths. Este jogo não pára de crescer…

Minecraft Dungeons não pára de crescer, não só com os DLC, aqui Hidden Depths, mas todo o jogo vai tendo coisas novas adicionadas sempre que volto.

Análise

Destroy All Humans! foi o remake que ninguém pediu

Embora me tenha divertido a jogar, em nenhum momento estive plenamente satisfeito com Destroy All Humans! e mais foram as vezes em que quis parar.

Análise, Caça ao Indie

The Wild At Heart é uma carta de amor à Nintendo

The Wild At Heart tem o mérito de procurar reproduzir o melhor de muitas franquias Nintendo e mesmo assim manter-se original.

Caça ao Indie

Pelos olhos do medo

Os 2 indies desta semana são shooters na primeira pessoa, mas são ao mesmo tempo muito mais do que isso.

Análise

Judgment e o detectivismo que não detectiva

Judgment é um jogo de detectives no universo Yakuza. A história é tão cativante e o gameplay tão fluido que fiquei imediatamente fã.

Análise, Caça ao Indie

Rain on Your Parade. Isto não é só chover no molhado

Rain on Your Parade apareceu do nada, cliquei nele por curiosidade e revelou-se um dos jogos mais divertidos deste ano.